Um certo Galileu

Em um mundo de amor, paixão, toma lá, dá cá, onde cabe o amor incondicional?

Amor que se doa sem pedir nada em troca.

Amor, onde o outro é mais importante que o “eu”.

É possível me doar primeiro e só depois pensar em mim?

Matar a fome do próximo para depois saciar a minha?

Um dia um certo Galileu pregou isso, o amor ao próximo, o virar da face para receber a bofetada, o irar-se sem no

entanto pecar, foram tantas palavras de amor…

Mas o Galileu não ficou na falácia, pagou o preço de tanta doação, se entregou aos pecadores para

que o matassem na cruz, como o pior deles, mesmo não o sendo.

Fez tudo isso por mim, por você, por nós.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *