A prova sem fim

Em determinada escola a professora aplicou uma prova de filosofia, contendo nela tudo o que havia sido ensinado aos alunos no decorrer do ano. Na prova não havia nada que os alunos jamais tivessem ouvido, pelo contrário, continha somente aquilo que foi ensinado em sala de aula.
Sócrates, por mais que estivesse em todas as aulas de filosofia, não havia prestado muita atenção nos ensinamentos da professora, por esse motivo, enquanto lia as questões, não entendia nada… e acabou indo mal na prova.
Sócrates foi reprovado, porém teve um outra oportunidade na recuperação. Ele sabia da necessidade de estudar, perseverar, e fazer com que aquela prova fosse apenas mais uma, e não a última de sua vida.
Se formos levar esse fato para o mundo espiritual, entenderemos que cada um de nós somos alunos cujo o professor é Jesus Cristo, que primeiro nos ensina e então permite a prova (tentação), e se caso não formos bem, formos reprovados, teremos uma segunda chance, para perseverarmos mais, estudarmos mais a bíblia, e fazer com que essa prova não seja a última de nossas vidas.
Nós sabemos que sempre depois da prova, vem uma bênção, no caso de Sócrates foi passar de ano. Porém jamais devemos ignorar o fato de que a prova apenas termina quando a vencemos, quando vamos bem, ou então, ficaremos presos na mesma prova eternamente.
Paulo disse em I Coríntios 10,13, que “Não veio sobre vós tentação senão humana, mas fiel é Deus, que não vos deixara tentar acima do que podeis, e junto com a tentação dará também o escape para que possais suportar”.

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Acesse e divulgue: www.equilibrioarp.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *