O que é o purgatório

Purgatório é o lugar de purificação em que as almas dos justos, que não se santificaram suficientemente neste mundo, terão de completar a sua purificação, “por intervenção do fogo”, para serem admitidas no Céu, “onde nada de impuro entrará”. Apocalipse de São João, capítulo 21, versículo 27.É, pois, o lugar em que as almas dos que morrem na amizade de Deus, isto é, em estado de graça, mas com alguma dívida por culpas leves, ou por culpas graves já perdoadas sem a devida expiação, se purificam inteiramente para entrar no Céu, a visão e posse de Deus. Ali gozarão para sempre da sua perfeita felicidade na glória celeste. Agora, só a alma. E depois da ressurreição da carne, unida ao próprio corpo.

       A Bíblia fala deste lugar de purificação, na Primeira Carta aos Coríntios, capítulo 3, versículos 12 e 15, o apóstolo Paulo fala de um fogo misterioso que salva: “O fogo provará o que vale o trabalho de cada um. Se queimar, sofrerá ele os danos. Mas será salvo passando de alguma maneira através do fogo”. Fala também de um perdão na outra vida. O próprio Jesus afirmou, no Evangelho de São Mateus, capítulo 12, versículo 32: “A todo o que disser uma palavra contra o Filho do Homem ser-lhe-á perdoada; ao que disser, porém, contra o Espírito Santo, não lhe será perdoada nem nesse mundo, nem no outro”. Por aí se vê que Jesus nos ensina que há pecados que serão perdoados também no outro mundo, isto é, após a morte. A Bíblia fala ainda de uma prisão temporária na “outra vida”, Jesus, no Evangelho de São Mateus, capítulo 5, versículos 25 e 26, exorta a reconciliação com os irmãos nesta vida para que “não suceda que o adversário te entregue ao juiz e o juiz te entregue ao seu ministro, e sejas posto em prisão. Eu garanto: não sairás de lá antes de ter pago o último centavo. É evidente que esta prisão temporária, lugar de perdão na outra vida, através de um fogo que purifica e salva, e de onde se sairá depois de pagar o último centavo, não pode ser o Céu, “onde nada de impuro entrará” Apocalipse de São João, capítulo 21, versículo 27, nem o inferno, “Afastam-se de mim, malditos. Vão para o fogo eterno. Evangelho de São Mateus, capítulo 25, versículo 41.
       Só resta que esses textos se refiram a um lugar intermediário, transitório e de expiação, que a Igreja, com toda a propriedade, chama de Purgatório, embora esta palavra não esteja na Bíblia. Está a sua realidade que é o que importa. Amanha veremos o significado da comemoração dos fiéis defuntos…
Colaboração: Carlos, Ipatinga-MG
DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *