Por que duvidamos?

“Pedro tomou a palavra e falou: Senhor, se és tu, manda-me ir sobre as águas até junto de ti! Ele disse-lhe: Vem! Pedro saiu da barca e caminhava sobre as águas ao encontro de Jesus. Mas, redobrando a violência do vento, teve medo e, começando a afundar, gritou: Senhor, salva-me! No mesmo instante, Jesus estendeu-lhe a mão, segurou-o e lhe disse: Homem de pouca fé, por que duvidaste?” Evangelho de São Mateus, capítulo 14, versículos 29 a 31.

       Pedro comete um grande erro, reparou na força do vento, ele olhou para os lados, ao invés, de continuar seguindo. Ele que estava caminhando firme, confiante, parou. Ele tirou o foco do positivo que era Jesus e colocou o foco no negativo que era o vento.
       Por vezes, isto acontece nas nossas vidas, estamos firmes, constantes, confiantes, fiéis, encorajados, comprometidos, alicerçados e de repente, começamos a reparar na força do vento e isto nos paralisa, o medo toma conta do nosso coração e nos faz submergir. Por vezes, o Senhor nos manda seguir em frente, acreditar que é nosso direito, que é nossa herança, ir em frente naquele negócio, ir em frente naquela empreitada, ir em frente naquela prova e nós paramos para ver a força do vento. Mas na hora que você sentir o medo em sua volta, faça essa oração: “Meu refúgio, minha fortaleza, meu Deus, eu confio em Ti! Ele te livrará do laço do caçador, e da peste destruidora. Ele te cobrirá com as suas penas, e debaixo das suas asas te refugiarás. O seu braço é escudo e armadura. Não temerás o terror da noite, nem a flecha que voa de dia, nem a epidemia que caminha nas trevas, nem a peste que devasta ao meio-dia. Podem cair mil a teu lado e dez mil à tua direita, a ti nada te atingiráLivro dos Salmos, Salmo 91, versículos 2 a 7.
Colaboração: Carlos,Ipatinga-MG
DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *