“Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana, estando fechadas, por medo dos judeus, as portas do lugar onde os discípulos se encontravam, Jesus entrou e, pondo-se no meio deles, disse: “A paz esteja convosco”. Depois dessas palavras, mostrou-lhes as mãos e o lado. Então os discípulos se alegraram por verem o Senhor. Novamente, Jesus disse: “A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou, também eu vos envio”. E, depois de ter dito isso, soprou sobre eles e disse: “Recebei o Espírito Santo. A quem perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados; a quem não os perdoardes, eles lhes serão retidos”. Evangelho de São João, capítulo 20, versículos 19 a 23.
Jesus soprou sobre eles o Espírito Santo. É a recriação. Como Adão se tornou ser vivente depois do sopro de Deus, assim também nós nos tornamos criaturas novas em Cristo. Antes fracos, agora fortes; antes fechados, agora abertos à missão; antes temerosos de perder a vida, agora decididos a doá-la para Cristo e para o Evangelho; antes temerosos de não sermos perdoados, agora ricos de perdão, somos capazes de nos perdoarmos e de perdoar o próximo.
Tudo graças ao dom do Espírito Santo. Para sermos cristãos, é preciso coragem. Será que estamos dispostos a levar como Cristo as feridas causadas pelos nossos e pelos pecados do próximo a fim de transformá-las em amor, capaz de regenerar a verdadeira vida, ou preferimos não correr riscos e ficarmos fechados nas nossas incompreensões ou na nossa sede de vingança?

Colaboração: Carlos, Ipatinga-MG

DEIXE SEU COMENTÁRIO!