Abaixo está destacado o evangelho de São Mateus, em seu capítulo 9, versículos de 9 a 13: Jesus viu um homem chamado Mateus, que estava sentado no posto do pagamento das taxas. Disse-lhe: Segue-me. O homem levantou-se e o seguiu. Como Jesus estivesse à mesa na casa desse homem, numerosos publicanos e pecadores vieram e sentaram-se com ele e seus discípulos. Vendo isto, os fariseus disseram aos discípulos: “Por que come vosso mestre com os publicanos e com os pecadores?” Jesus, ouvindo isto, respondeu-lhes: “Não são os que estão bem que precisam de médico, mas sim os doentes. Ide e aprendei o que significam estas palavras: Eu quero a misericórdia e não o sacrifício (Os 6,6). Eu não vim chamar os justos, mas os pecadores”

Esta leitura me leva a duas atitudes:

1°- Agradecer. Sim, a 22 anos atrás encontrei um amigo que deu sentido à minha vida. Que nos momentos de desânimo me consola. Que diante das aflições tem me dado força. E que nas horas em que me sinto só, misteriosamente se manifesta através de pessoas, de acontecimentos, de sentimentos… Dizendo que vale a pena seguir em frente, renovando minha esperança. Este amigo é o Espírito Santo. Como descrito no livro bíblico do eclesiástico, capítulo 6, versículo 14: “Um amigo fiel é uma poderosa proteção; quem o achou descobriu um tesouro”. Obrigado meu amigo Espírito Santo, porque assim como Mateus, eu era improvável de ser chamado para servir a Deus, continuo sendo, mas mesmo assim me chamastes com erros, defeitos, pecados…

2°- Questionar. Sim, muitas vezes questiono: Por que eu? Questiono também por outros: Por que fulano? E a resposta é tão simples: “Eu não vim chamar os justos, mas os pecadores”. Existe ainda outro texto que me ajuda nos momentos em que me decepciono comigo mesmo e com pessoas que estão à frente de algo na Igreja; e daí os julgo e os condeno por determinadas atitudes:  “O que o homem vê não é o que importa: O homem vê aquilo que salta aos olhos, mas Deus vê o coração”. (1° livro de Samuel, capítulo 16, versículo 7).

Pode ser que da mesma forma que eu, você algumas vezes se veja criticando, julgando alguém da igreja, que “deveria” ser exemplo. Nestes momentos eu peço: Senhor Jesus, dá-me a Graça de ver (o nome da pessoa) com Teus olhos… E que assim seja!

Abaixo, uma linda Canção do Padre Fábio de Melo pode ajudar você!

http://youtu.be/6fMfXDRZzj4