Papa Francisco orienta que, neste tempo de preparação para o Natal, nos fará bem um pouco de silêncio para escutar Deus, que fala com ternura

Na preparação para o Natal, fará bem um pouco de silêncio para escutar Deus, que fala com a ternura de um pai e de uma mãe. Em síntese, esta foi a reflexão do Papa Francisco, na Missa celebrada, nesta quinta-feira, 12, na Casa Marta.

O Santo Padre destacou não tanto o que Deus diz, mas sim o modo como Ele diz. Trata-se de ternura, um jeito de falar como aquele utilizado pelo pai e pela mãe quando se dirigem ao seu filho.

“Quando olhamos para um pai ou uma mãe que falam ao seu filho, vemos que eles se tornam pequenos, falam com a voz de uma criança e fazem gestos de crianças. (…) É assim: se o pai ou a mãe lhe falam normalmente, a criança entenderá o mesmo, mas eles querem adotar o modo de falar dela. Aproximam-se, fazem-se criança. E assim é o Senhor”.

Francisco lembrou que os pais costumam usar essa linguagem bem peculiar para se dirigir aos filhos. Esta também é a linguagem do Senhor, uma linguagem de amor. “Palavra do Senhor? Sim, ouçamos aquilo que Ele nos diz, mas vejamos também o modo como nos diz. E nós devemos fazer aquilo que faz o Senhor, fazer aquilo que Ele diz e como diz: com amor, com ternura e condescendência para com os irmãos”.

Citando o encontro de Elias com o Senhor, o Papa explicou que Deus é como a brisa suave, um fio sonoro de silêncio. Assim Ele se aproxima, com aquela sonoridade do silêncio próprio do amor, sem dar espetáculo.

“Esta é a música da linguagem do Senhor, e nós, na preparação para o Natal, devemos ouvi-la, pois nos fará bem, muito bem. Normalmente, o Natal parece uma festa de muito barulho, mas fará bem a nós fazer um pouco de silêncio e ouvir estas palavras de amor, de tanta proximidade, estas palavras de ternura. Fazer silêncio, neste tempo, como diz o prefácio, é estar vigilante à espera”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *