São João em seu evangelho, capítulo, versículo 60 nos conta que: “Muitos dos discípulos de Jesus, ouvindo-O, disseram: Isto é muito duro! Quem o pode admitir?” e prossegue São João do versículo 66 ao 69: Desde então, muitos dos seus discípulos se retiraram e já não andavam com ele. Então Jesus perguntou aos Doze: Quereis vós também retirar-vos? Respondeu-lhe Simão Pedro: Senhor, a quem iríamos nós? Tu tens as palavras da vida eterna. E nós cremos e sabemos que tu és o Santo de Deus!”

O que impressiona em Jesus é Sua verdade. Ele não mentiu, não enganou, não falou diferente. De fato, o que Ele falava era duro. Falava sobre romper com o mal, sobre mudança de vida, sobre um nascer de novo… Muitos não suportaram, pois esperavam alguém que os liderasse sem exigências, queriam um líder que lhes proporcionasse tudo sem muito esforço. Então se retiraram, foram em busca de uma vida sem tantas exigências, mais fácil…

Hoje não é diferente. Há pessoas que buscam líderes que lhes dêem tudo “na bandeja”, muitos querem ouvir aquilo que lhes convém, uma religião milagreira, um Deus que os atenda de imediato – um pronto socorro. Ainda hoje, como naquele tempo, muitos perdem a fé, pois estar com Deus é exigente. Temos que cooperar com a Graça e não ficar de braços cruzados. Ser de Deus exige determinação para mudar, para romper com o mal que insiste em nos conduzir.

Jesus nos ama e nos quer com Ele. Mas é tanto amor que Ele nos deixa livres. E ainda hoje Ele pergunta como perguntou aos doze que Lhe seguiam: “Quereis vós também retirar-vos?” Eu fico com a resposta de Pedro:Senhor, a quem iríamos nós? Tu tens as palavras da vida eterna”. E você? 

Edson Oliveira

DEIXE SEU COMENTÁRIO!