Existem dois versículos que me deixaram literalmente perturbado quando os li pela primeira vez. E ainda bem que consultei um sacerdote que me explicou. São os versículos 29 e 30 do capítulo 5, do evangelho de São Mateus: “Se teu olho direito é para ti causa de queda, arranca-o e lança-o longe de ti”. “se tua mão direita é para ti causa de queda, corta-a e lança-a longe de ti”

Naqueles inícios de caminhada na Igreja, pensei comigo: Será que terei que cortar de mim aquilo que me faz pecar? E, ao consultar o padre da minha paróquia, ele me explicou: Sim, é preciso cortar! Pecado, dizia ele, se corta pela raiz. É abandonar a situação, fugir dela. Um alcóolatra, dizia aquele sacerdote, precisa mudar o seu caminho, se no caminho que ele faz tem um bar. E não achar que é enfrentando que vai vencer.

Naquele dia entendi o que é esse cortar. Nosso maior erro é se sentir forte ou preparado. O pecado é sedutor, ele envolve. E além disso, o pecado nos ilude. Tenta nos convencer que estamos prontos e fortes. Exemplos práticos: Você namora ou é casado (a). Daí aparece alguém e você percebe uma atração ainda que seja só da parte desta pessoa. O melhor é cortar. Melhor ser grosseiro (a) do que colocar seu namoro ou casamento em risco. Se você tem fraquezas na sexualidade, corte conversas, programas, novelas, filmes, ocasiões, ambientes que porão em risco sua pureza.

Bom, acho que você entendeu…

Edson Oliveira

DEIXE SEU COMENTÁRIO!