“os inimigos do homem serão as pessoas de sua própria casa”.

Às vezes, no lugar onde mais gostaríamos de ser compreendidos e acolhidos, é onde mais sofremos. Não é por acaso que no evangelho de São Mateus, capítulo 10, versículos do 34 ao 36 está escrito assim: “Não julgueis que vim trazer a paz à terra. Vim trazer não a paz, mas a espada. Eu vim trazer a divisão entre o filho e o pai, entre a filha e a mãe, entre a nora e a sogra, e os inimigos do homem serão as pessoas de sua própria casa“.

Não é que as pessoas da nossa casa sejam más. O problema é que as pessoas de casa nos conhecem, sabem de nossas ações e reações. Por isso, demoram mais em assimilar que apesar das nossas “misérias”, somos de Deus. Daí até dizem: “aqui em casa você é de um jeito, e para os outros um santinho”. “santo do pau oco”. E assim vai…

Como enfrentar isso então? Cuidando para que nossas ações e reações sejam as mesmas com os de casa e com os de fora. Porque também, conhecemos quem são as pessoas de casa. Mas temos que agir e reagir com elas, com caridade. E assim, não terão do que criticar… Não é fácil, é desafiador. Ser de Deus em casa é mais difícil que fora de casa.

Edson Oliveira

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *