O que há de comum entre o Reino de Deus e uma empresa?

Em uma de suas parábolas, no evangelho de São Mateus, capítulo 20, versículo 1, Jesus disse que “O Reino dos Céus é como a história do patrão que saiu de madrugada para contratar trabalhadores para a sua vinha”. Isto significa que há uma relação de trabalho, e trabalho formal, com contrato, direitos e deveres.

Entendo assim, que para viver bem as coisas de Deus, deveríamos agir com esta mentalidade empresarial. Alguns exemplos ajudam: Numa empresa há regras. E como assinei um contrato, preciso cumprí-las, sob pena de ser mandado embora. Por que então há Cristãos que não cumprem as regras? A pessoa é católica mais acredita em reencarnação, aprova o aborto, vota em candidato que aprova Leis contrárias à fé, etc. Numa empresa há horários a cumprir. Chegou atrasado é descontado do salário. Faltou ao serviço, descontado e faltas repetidas dá demissão. Por que então há pessoas que são católicas ou evangélicas, mas “preferem” rezar em casa? Outros sempre chegam atrasados na Missa ou no culto. E há os que simplesmente faltam com as “obrigações” de fé como Missa, confissão, etc.

Certamente, se olhássemos o Reino de Deus e O vivêssemos como se fosse uma empresa, seríamos mais disciplinados,  mais fiéis e experimentaríamos ao final de cada dia a maravilhosa sensação de missão cumprida. E olha que nem falei de pagamento; que não deve ser nosso objetivo, mas que Deus dá e dá além do que esperamos.

Edson Oliveira

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *