acolherAqui no capítulo 15, versículos 1 e 2 do evangelho de São Lucas, está um dos maiores ensinamentos deixados por Jesus: Separar a pessoa, do mal praticado por ela.Naquele tempo, os publicanos e pecadores aproximavam-se de Jesus para o escutar. Os fariseus, porém, e os mestres da Lei criticavam Jesus. ‘Este homem acolhe os pecadores e faz refeição com eles’”. E ainda no alto da cruz, depois tanto ser maltratado, separando o ser humano do mal praticado por ele, Jesus teve a capacidade de dizer: “Pai, perdoa. Eles não sabem o que fazem”.

Quase sempre guardamos rancores, mágoas, ressentimentos por não separar o ser humano do mal feito por ele. Não quero dizer que a pessoa que fez um mal, cometeu um crime não deva ser punida. Punida sim, corrigida sim, mas execrada jamais. Perdemos grandes oportunidades de ajudar alguém a crescer, a mudar de vida, a recomeçar… quando confundimos a pessoa com o mal que ela fez.

E como então, não confundir a pessoa com o mal feito por ela? Primeiro, tendo consciência que tal pessoa veio de Deus, é imagem e semelhança de Deus. Nela existem coisas boas. Segundo, rezando por ela. O ato de rezar diariamente por alguém, nos capacita a ver o coração daquela pessoa. Ver além do que os olhos humanos permitem. Foram estas duas atitudes que deram a Jesus a capacidade de acolher e conviver com pecadores e não ser conivente com eles, nem condená-los.

Edson Oliveira

DEIXE SEU COMENTÁRIO!