Procura-se garimpeiros

garimpo

Existe um texto bíblico, no evangelho de São Lucas, capítulo 17, versículos de 11 a 19, que narra um fato, onde 10 homens com lepra, pedem que Jesus os cure. Enquanto voltam pelo caminho, percebem que estão curados. E apenas um deles, que era samaritano (povo que não se relacionava com Judeus) retorna para agradecer a Jesus por tal feito. “Então Jesus lhe perguntou: “Não foram dez os curados? E os outros nove, onde estão? Não houve quem voltasse para dar glória a Deus, a não ser este estrangeiro?”.

A admiração de Jesus não foi simplesmente porque apenas um dos dez curados voltou para agradecê-Lo, mas sim porque aquele que foi agradecer-Lhe era um samaritano, ou seja: O agradecimento veio de quem Ele menos esperava.

Gestos bons, atitudes nobres, ações grandiosas podem vir de onde menos esperamos; de pessoas que às vezes estão literalmente “jogadas num canto” e que não recebem oportunidade porque não são falantes, não têm um diploma, não vivem ostentando que sabem isto ou aquilo.

Se empresários ousassem trabalhar mais o capital humano, dar oportunidades a pessoas que vivem “na delas”, se coordenadores de movimentos e pastorais na Igreja ouvissem opiniões e não quisessem ficar eternamente com os “preferidos”, iriam se surpreender como Jesus se surpreendeu, ao receber o agradecimento de quem Ele menos esperava. Pois há pessoas que têm talentos maravilhosos que estão enterrados como num garimpo. O que falta é garimpeiro.

Edson Oliveira

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *