misericórdia

A expressão misericórdia tem origem latina, é a união de miserere (ter compaixão), e cordis (coração). “Ter compaixão do coração”. O que significa na prática, ter a capacidade de sentir aquilo que a outra pessoa sente, aproximar seus sentimentos dos sentimentos de alguém. Jesus fez referência a isto, no evangelho de São Lucas, capítulo 6, versículo 36: “Sede misericordiosos, como também o vosso Pai é misericordioso…”

Desta forma, revelava-nos Jesus, que Deus nos ama, justamente por ter a capacidade de sentir o que sentimos; de aproximar Seus sentimentos, dos nossos sentimentos. Também Jesus, aprendeu com o Pai a ter misericórdia, quando diz à mulher pecadora que ia ser apedrejada: “Ninguém te condenou? Nem eu te condeno” (Jo 8, 10-11). Quando chorou diante do amigo Lásaro que morrera e do sofrimento de suas irmãs (Jo 11). Quando mesmo depois de traído por Pedro, confia-lhe a condução da Sua Igreja (Jo 21).

O amor que Deus tem por nós é um amor verdadeiro, sólido; é um amor misericordioso, pois aproxima a tal ponto Seus sentimentos dos nossos, que sente o que sentimos. Escrevi acima, que Jesus aprendeu com o Pai a ter misericórdia. Sim, Ele veio a este mundo como homem, viveu como homem. Deus Pai em Jesus sentiu o que os homens sentem no mais íntimo, por isso na Cruz foi capaz de dizer: “Pai, perdoa-lhes. Eles não sabem o que fazem” (Lc 23, 34).

Só amaremos de verdade, quando aprendermos a ter misericórdia. Ou seja, a capacidade de sentirmos o que o outro sente. E isso começa não julgando, não condenando… Mas agindo com o outro como gostaria que agisse comigo.

Edson Oliveira