Fome e sede. Onde saciá-las?

 

untitled

Comer e beber fazem parte das necessidades fisiológicas do ser humano. Sem suprir tais necessidades, o corpo definha. O homem consegue ficar cerca de três dias sem beber água. No entanto, o organismo sofre muitas consequências quando isso ocorre. Fica-se desidratado (quando não há líquido suficiente no corpo), os neurônios (células do cérebro) começam a morrer, perde-se a consciência e em pouco tempo todos os órgãos param de funcionar.

O corpo humano é formado por grande quantidade de água, que é eliminada a todo momento por meio da transpiração, respiração, xixi e cocô. Por isso, é preciso repor. É recomendável não passar mais de seis horas sem ingeri-la e tomar vários copos por dia. E não vale substituir por refrigerante.

Além de ser fundamental para o funcionamento do organismo, a água tem outras funções, como regular a temperatura do corpo, não deixando que esquente demais, e manter a circulação do sangue.

Ficar sem comer é menos prejudicial. Dá para permanecer cerca de cinco dias em jejum, desde que tome água. O alimento é o combustível, a fonte de energia para fazer o corpo funcionar. Sem ele, o organismo começa a gastar a gordura que tem. E quando ela acaba, passa a retirar energia dos músculos, incluindo o coração. Dessa forma, a pessoa fica muito fraca, não consegue fazer nada e todos os órgãos param de trabalhar.

O ideal é não ficar muitas horas com o estômago vazio. Além disso, é importante fazer todas as refeições corretamente, sem substituir comida, como arroz, feijão, carne e legumes, por lanches.

Não por acaso, no evangelho de São João, capítulo 6, versículo 35, Jesus disse: “Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim não terá mais fome e quem crê em mim nunca mais terá sede”. Pois assim como o corpo tem fome e sede de comida e bebida, também temos fome e sede de amor, de paz, de alegria… E só Jesus pode saciar esta fome e esta sede.

Exemplo simples é nos decepcionarmos com as pessoas. E por que isto acontece? Porque criamos expectativas, idealizamos em alguém aquilo que ele não é. Nossa fome e sede em ter perto a “pessoa perfeita”, destrói relacionamentos, trás doenças e enormes frustrações. Quando me alimento de Jesus pela oração, a fome e a sede em ter por perto “pessoas perfeitas” perdem sentido, pois aprendo com Ele a não criar expectativas, pois Ele mesmo foi traído, negado e abandonado pelos Seus mais próximos.

Edson Oliveira

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *