image-280x300Estou aqui de volta para falar um pouco mais sobre o Método de Ovulação Billings. Desta vez, me pediram que eu falasse sobre sua eficácia.

Permitir-me pensar na palavra eficácia, o que ela significa? Significa nos remeter àquilo que promete ou que se espera que cause o resultado inicialmente pretendido. Nesses quase 20 anos como conhecedora do Método de Ovulação Billings, ouvindo às pessoas, que me procuram para um atendimento, já na entrevista inicial a pergunta que faço é essa: “ Qual é a sua motivação para aprender e utilizar o Método de Ovulação Billings, ou seja, quais são as suas pretensões, o que você espera.

Como protocolo de atendimento, essas motivações são divididas da seguinte forma:

CF ( conhecimento da fertilidade), ou seja, adolescentes, jovens que decidem reconhecer e ler os sinais do seu corpo para conhecer a sua fertilidade;

EG( espaçar a gravidez), ou seja, casais que por motivos pessoais, no momento, querem espaçar os nascimentos, e geralmente estão em algumas dessas situações: amamentando, ou que querem interromper o uso do anticoncepcional e ainda que estão se aproximando da menopausa;

PG( engravidar), ou seja, casais que buscam a partir do reconhecimento de sua fertilidade obter uma gravidez.

Em todos os casos, o uso do Método ajuda essas pessoas, ainda a monitorarem sua saúde reprodutiva. Realizamos no Centro de Formação Famílias Novas, centro especializado no ensino do Método de Ovulação Billings um relatório anual dos atendimentos realizados. No ano passado, 15 que buscaram engravidar, inclusive com diagnóstico médico de subfertilidade e já com encaminhamentos para inseminação artificial, 07 engravidaram de forma natural usando o Método de Ovulação Billings.

Além da minha experiência pessoal e profissional, em que constato a eficácia do Método de Ovulação Billings, segundo a Organização Mundial da Saúde ele apresenta 98% de eficácia na maioria dos casos.

Apesar desses números, comumente se escuta que o Método é ineficaz, isso se deve a falta de conhecimento do mesmo.Poucos profissionais de saúde possuem conhecimento profundo, apreciação e compreensão, e geralmente, não prescrevem para seus pacientes. Um dos motivos é que nas Escolas de Enfermagem ou Medicina a informação é escassa ou nula.

No entanto, a natureza holística informativa e integrativa do Método de Ovulação Billings se ajusta bem a prática profissional da enfermagem e da medicina. A maioria dos usuários estão altamente satisfeitos com o uso, sendo as razões principais de satisfação comuns o auto-conhecimento, o não uso de medicamentos, a naturalidade e a efetividade.

O Método de Ovulação Billings cumpre aquilo que se espera dele. Ele se baseia no reconhecimento da fertilidade mediante a percepção da sensação de umidade ou securavulvar.Pode ser utilizado em caso de ciclos regulares e irregulares. Requer do casal um período de aprendizagem com instrutores capacitados.O autorreconhecimento da fertilidade e da infertilidade possibilita a mulher conhecer seus próprios padrões sendo capaz de detectar uma gama de desordens ginecológicas.

Concluo dizendo aquilo que comprometeria a eficácia do Método de Ovulação Billings, a primeira coisa é a ausência do registro diário no gráfico, costumo dizer que quem não faz o gráfico a cada ciclo, não pode se denominar usuária do Método de Ovulação Billings. A segunda a ausência de um instrutor qualificado para o acompanhamento, pois o Método de Ovulação Billings NÃO é o método da tabelinha, mas o método que acompanha o Continuum Ovárico de cada mulher, e cada ciclo conta uma história diferente.

Fonte: Portal cancaonova.com – Fabiana Azambuja  Coordenadora do Centro de Formação Familias Novas.