acolherExiste um erro muito grande em nossos dias: Quando alguém se posiciona diante de sua convicção, de sua crença, de seu ideal de vida, é taxado de preconceituoso, excludente, homofóbico… Deus mesmo, ainda no antigo testamento, no livro do profeta Oséias, capítulo 7, versículo 8, critica o seu povo: “Efraim mistura-se com os outros povos”.

Efraim (povo de Deus, que tinha princípios e normas claras a serem seguidas) misturou-se  no meio dos povos mundanos e tornou-se semelhantes a eles. Ele não era mais o mesmo, não fazia mais diferença. Não mais influenciava com a fé, a fidelidade; Ele perdeu a sua identidade, adotando para a sua cultura, cultura de outros povos, hábitos alheios àquilo que era próprio seu.

Esta ordem dada por Deus a Efraim, de não se misturar com outros povos, não significava excluir os outros povos, não significava também se colocar como melhor, mas simplesmente que Efraim honrasse seus princípios, não perdesse sua identidade. Erro grave é quando achamos que para acolher alguém, temos compactuar ou aplaudir o que ele faz. Amar as pessoas, respeitá-las em suas decisões, acolhê-las, sim; misturar-se, adotando costumes ou concordando com práticas que não condizem com sua realidade, pode parecer bonito, mas você perderá sua identidade, sua autenticidade, sua essência.

Edson Oliveira

DEIXE SEU COMENTÁRIO!