O evangelho de São Lucas em seu capítulo 10, versículos de 38 a 42  nos conta que “Jesus entrou num povoado, e certa mulher, de nome Marta, recebeu-o em sua casa. Sua irmã, chamada Maria, sentou-se aos pés do Senhor, e escutava sua palavra. Marta, porém, estava ocupada com muitos afazeres. Ela aproximou-se e disse: ‘Senhor, não te importas que minha irmã me deixe sozinha, com todo o serviço? Manda que ela me venha ajudar!’ O Senhor, porém, lhe respondeu: ‘Marta, Marta! Tu te preocupas e andas agitada por muitas coisas. Porém, uma só coisa é necessária. Maria escolheu a melhor parte e esta não lhe será tirada’.”

Importante observar no texto acima, que Jesus não critica Marta por ser uma pessoa trabalhadeira; a crítica aqui é que “Marta, porém, estava ocupada com muitos afazeres”. Marta estava distante do essencial: “Marta, Marta! Tu te preocupas e andas agitada por muitas coisas”. Quando nos distanciamos do essencial, nos tornamos pessoas preocupados e agitadas com tudo que acontece. Maria, a irmã de Marta, longe de ser irresponsável, estava presa ao essencial, por isso, longe dela preocupação e agitação. O mundo em que vivemos está fadado às preocupações e agitações, porque cada vez mais se distancia do essencial, preso ao material, às coisas, situações e pessoas que jamais o preencherá.

Que hoje, busquemos o essencial. Quem sabe ao menos 10 minutos em um lugar silencioso, conversando com Deus, revendo atitudes e determinando-se em recomeçar?

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Edson Oliveira