O sofrimento é um mistério. E por ser mistério é difícil compreendê-lo. O certo, é que o sofrimento caminha com o ser humano desde sua origem, exatamente no momento em que o homem rompe com Deus, entregando-se à sedução da serpente. Confira, lendo o capítulo 3 do livro bíblico do gênesis. A partir daí, o sofrimento passa a caminhar com o gênero humano.

O sofrimento por si, é fruto do mau uso da nossa liberdade. O pecado original como lido no já citado capítulo 3 do livro bíblico do gênesis, abriu uma enorme brecha, pois ainda que a pessoa diretamente não usou mal a sua liberdade, outros usam. Caso clássico é uma criança inocente por exemplo, que recebe um diagnóstico de câncer, tendo que se submeter a um tratamento agressivo com todas as consequências e quem sabe até indo a óbito. E diante deste mistério, muitos se permitem cair na tentação de questionar: “Onde está Deus?” Tal questionamento não deveria existir, uma vez que, a raiz do sofrimento não está em Deus. O câncer, como tantos outros males, advém de diversas origens.

Diante do sofrimento, é preciso seguir a orientação de São Paulo, em sua carta aos colossenses, capítulo 1, versículo 24: “Agora me alegro nos sofrimentos suportados por vós. O que falta às tribulações de Cristo, completo na minha carne, por seu corpo que é a Igreja”. Sozinhos não somos capazes de conduzir a nossa vida: é preciso colocar as dores e sofrimentos nas mãos de Deus, para que Ele nos aponte por qual caminho devemos seguir. Dessa forma, não corremos o risco de nos perder em meio aos sofrimentos e adversidades do dia-a-dia.

Não digo aqui que você se alegre dizendo: “Que bom este sofrimento!” Mas que unindo-se a Deus na oração você possa se alegrar por ter Deus em seu sofrimento. Isto fará toda a diferença!

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Edson Oliveira