Ao ler o versículo 18b, do capítulo 5 da primeira carta de São João, uma palavra me chamou atenção:  “mas o que é gerado de Deus se acautela, e o Maligno não o toca”. A palavra é acautela. Que vem do verbo acautelar, do latim CAUTIO, “cuidado, precaução, prevenção”, de CAVERE, “cuidar-se, precaver-se”. Acautelar tem significados preciosos, como: se colocar fora de perigo, se guardar, se reguardar, se livrar, se prevenir. Acautelar-se significa ainda, defender-se, ficar sob a proteção de algo ou alguém, proteger-se.

Diante de todos estes significados citados sobre acautelar-se, é preciso pedir a Deus a virtude da cautela. Pois não basta saber que se é de Deus, rezar e dizer que crer em Deus. Acautelar-se é viver de maneira sóbria, confiando sim no auxílio de Deus, mas em estado de vigilância, se cuidando, se precavendo, se prevenindo, evitando brechas.

A pessoa que se acautela não é tocada pelo maligno, pois ao primeiro sinal de fraqueza ou tentação, busca ajuda humana e/ou espiritual.

Existem pessoas que mesmo rezando, indo na Igreja, não se desvencilham de males, de vícios, de fraquezas como corrupção, impurezas sexuais, desequilíbrios emocionais, porque não se acautelam. Rezam, mas não vigiam.

Edson Oliveira

DEIXE SEU COMENTÁRIO!