Batismo no Espírito – Uma maneira simples e poderosa de renovar a vida.

Karl Rahner, que participou como perito conciliar (teólogo) do Concílio Vaticano II (1962-1965), disse que “Não podemos negar que o homem pode fazer aqui em baixo experiências da Graça, as quais lhe dão uma sensação de libertação, abrem-lhe horizontes totalmente novos, marcam-no profundamente, transformam-no, plasmando, também por longo tempo, a sua atitude cristã mais íntima. Nada proíbe de chamar tais experiências Batismo do Espírito“.

É justo esperar que todos passem por esta experiência? Essa é a única maneira possível de experimentar a graça de Pentecostes? Se por Batismo no Espírito queremos dizer um determinado rito, em um determinado contexto, devemos dizer não; não é a única maneira de fazer uma experiência forte do Espírito. Houve e há inúmeros cristãos que fizeram uma experiência semelhante, sem nada saber do Batismo no Espírito, recebendo uma efusão espontânea do Espírito, depois de um retiro, um encontro, uma leitura, um toque da Graça. Deve ser dito, porém, que o “Batismo no Espírito” provou ser uma maneira simples e poderosa de renovar a vida de milhões de crentes em quase todas as igrejas cristãs. Até mesmo um curso de exercícios espirituais pode muito bem acabar com uma invocação especial do Espírito Santo, se o guia fez essa experiência e os participantes a desejarem.

Por Frei Raniero Cantalamessa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *