A capacidade de agir em favor das pessoas

“Ao entrar em Cafarnaum, chegou-se a Ele um centurião, que O implorava e dizia: ‘Senhor, meu criado está deitado em casa paralítico, sofrendo dores atrozes‘”. Mateus 8, 5-6

Diferente do eu pensava: que o centurião só recorreu a Jesus porque precisava do seu empregado produzindo, o texto mostra um homem extremamente bom, pois primeiro deu-se ao trabalho de ele mesmo ir até Jesus (chegou-se a Ele – poderia ter mandado um empregado). Segundo, implorava a Jesus (O implorava – se expôs; implorar é mais que pedir. É se humilhar, chorar, demonstrar emoções). Terceiro, ele diz a Jesus que o empregando estava sofrendo dores atrozes (poderia ter apenas dito que o empregado esta doente, mas usou a expressão dores atrozes. Atroz significa desumano, difícil de suportar. Ele sentia a dor do seu servo). 

Esse centurião – oficial romano – não tem nome, para que, cada um que ler este trecho do evangelho ponha seu nome e seja capaz de agir como ele em favor das pessoas, seja um afamiliar, um amigo, um empregado, o patrão, um vizinho, um estranho na rua… Amém!

Edson Oliveira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *