“Também Isabel, tua parenta, concebeu um filho na velhice, e este é o sexto mês para aquela que chamavam de estéril. Para Deus, com efeito, nada é impossível”.  Lucas 1, 26-38 (36-37)

Existe uma ferramenta no processo de coaching, chamada de crença limitante. Crenças limitantes, são todas as ideias que a pessoa viu, ouviu ou concluiu e acabaram se tornando uma verdade absoluta para ela. As crenças limitantes são como ímãs. A pessoa crer em uma “verdade” que se torna real. No caso dos versículo 36 e 37, houve um rompimento de uma crença limitante na vida de Isabel: “este é o sexto mês para aquela que chamavam de estéril”. Note bem: “CHAMAVAM DE ESTÉRIL”. Isabel, por toda sua vida  foi chamada estéril. E já na velhice, com certeza, tinha isso definido: “sou estéril, nunca terei um filho”. Esta crença limitante perde seu efeito, quando Deus lhe concede engravidar: “este é o sexto mês para aquela que chamavam de estéril”.

Como acabar com uma crença limitante? Fazendo a ressignificação, ou seja: alterando o significado de uma palavra ou expressão. Neste caso de Isabel, o Anjo disse que “Para Deus, com efeito, nada é impossível”.

A sua história, pode ser que seja semelhante à história de Isabel: repleta de ingredientes de fracasso. Ela era conhecida como a estéril e absorveu isso por toda uma vida. A exemplo de Isabel, é preciso ressignificar suas crenças limitantes. Não se permita conduzir por elas, pois  “Para Deus, com efeito, nada é impossível”.  Amém!