Confiar na providência Divina, não nos isenta de fazer cálculos

No evangelho de São Lucas, Jesus dá um ensinamento prático e uma orientação objetiva: “Qual de vós, querendo construir uma torre, não se senta primeiro e calcula os gastos, para ver se tem o suficiente para terminar? Caso contrário, ele vai lançar o alicerce e não será capaz de acabar. E todos os que virem isso começarão a caçoar, dizendo: ‘Este homem começou a construir e não foi capaz de acabar!'” Lucas 14, 28-30.

Note que o tal ensinamento citado acima, foi passado pelo próprio Jesus, nos mostrando assim, que a confiança na providência Divina, não nos isenta pensar, raciocinar, fazer cálculos. Um casal de namorados não pode simplesmente da noite para o dia decidir casar. É preciso fazer os cálculos. Desde a observação do temperamento, do jeito de ser do outro, as manias… Calcular se se será capaz de viver uma vida inteira com a outra pessoa. E observe que nem falei dos cálculos financeiros (manter uma casa, móveis, contas… ). Da mesma forma, fazer os cálculos na hora de comprar algo: desde a escolha de um restaurante para almoçar, uma roupa, um carro, um imóvel… Para tudo…

O princípio da confiança na Providência Divina implica necessariamente na vivência da responsabilidade; e isso passa por fazer os cálculos diante de qualquer sonho ou projeto, o que não implica em desconfiar, como já citado, na Providência Divina, mas sim, cooperar com a mesma, sob pena de pecar não por não confiar, mas por agir e decidir irresponsavelmente.

Edson Oliveira

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *