A maturidade para lidar com o diferente!

Desde o tempo de Jesus, havia a tentação de só valorizar e acolher quem pensasse igual. O evangelista São Marcos, narra um episódio interessante, onde “João disse a Jesus: ‘Mestre, vimos um homem expulsar demônios em teu nome. Mas nós o proibimos, porque ele não nos segue'”. Marcos 9, 38

O diferente não deveria ser para nós uma ameaça. Ao contrário: se temos convicções firmes, o diferente deveria servir justamente para torná-las mais firmes. Também não deveríamos combater quem pensa diferente. Neste caso, deveríamos analisá-lo, para quem sabe incorparar elementos, sem perder nossa essência.

Enfim, diante do diferente, é preciso a maturidade de muitas vezes mesmo não concordando, respeitá-lo.

Edson Oliveira

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *