Começando a morrer…

Jesus deu a seguinte resposta, quando lhe foi solicitado pela mãe de dois de Seus discípulos, que lhes concedesse bons “cargos”, por ocasião da instauração do Seu Reino: “Quanto, porém, ao sentar-vos à minha direita ou à minha esquerda, isto não depende de mim vo-lo conceder. Esses lugares cabem àqueles aos quais meu Pai os reservou” – Mateus 20, 23 – Tal resposta, nos remente ao dito pelo próprio Jesus no evangelho de São João, capítulo 14, versículo 2: “Na casa de meu Pai há muitas moradas. Não fora assim, e eu vos teria dito; pois vou preparar-vos um lugar”.

Quando nascemos, começamos a morrer, cantava Vinicius de Moraes na música: “sei lá, a vida tem sempre razão”. Mas esse começar a morrer não pode ser vivido de forma deprimida ou angustiada, pois ele nada mais é do que uma viagem até a verdadeira vida. Muitas pessoas fazem esta passagem por esta vida sentido, por não aproveitarem a viagem. Eu por exemplo, já viajei muito, dentro e fora do Brasil. Vi lugares e paisagens lindas, lugares e paisagens feias – viajei com pessoas maravilhosas e com pessoas chatas – conheci pessoas ótimas e pessoas insuportáveis… Mas não me arrependo de nenhuma destas e tantas viagens. De cada uma tirei uma lição. Em cada uma aprendi algo.

O que é que torna uma viagem boa? A certeza do retorno. Sim, pois se a viagem foi ruim, você volta com muita vontade de se reencontrar com o seu lugar e se ela foi boa, você volta ansiosa para dizer como foi bom.

Entendeu? Quando você nasceu, você começou uma viagem, rumo a um lugar que foi reservado você na casa do Pai. Então aproveite sua viagem, tire lições, aprenda a conviver, a observar, a falar, a calar… se você não fizer isso, vai desacreditar que esse seu lugar está resevado. Daí a viagem será muito sofrida e recheada de amarguras.

Boa viagem!

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Edson Oliveira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *