Para alguém, assim como a semente, produzir fruto, precisa necessariamente morrer.

Certa vez, Jesus disse que “se o grão de trigo que cai na terra não morre, ele continua só um grão de trigo; mas se morre, então produz muito fruto”. João 12, 24. Um ensinamento simples e de extremo valor. Para alguém, assim como a semente, produzir fruto, precisa necessariamente morrer. Jesus está falando da morte que pode ser traduzida para nós como esforço e determinação.

A semente precisa desaparecer para ser algo, e esse algo produzir novas sementes que precisam desaparecer. A conclusão é simples: a semente que não morre não produz fruto.  A semente traz em si o esboço dos futuros órgãos da planta, mas não passará de um esboço se não cair na terra. Por si só, ela não cresce nem se move, e detectar vida nela é quase impossível. Não importa por quanto tempo seja preservada, ela jamais será planta. É a morte que não se deseja para a semente, que a permite se tornar planta.

Portanto, se queremos ser frutuosos em nossa vida, precisamos morrer para nossas vontades, desejos, até mesmo amizades e tantas outras coisas, que nem são danosas, mas que para frutificarmos, precisamos delas abdicar, ou seja: renunciar por vontade própria ou por um objetivo maior. Exemplo clássico é como temos visto hoje em dia a explosão do empreendedorismo. Há pessoas que querem empreender, ter seu próprio negócio, não receber ordens de ninguém. Mas esquecem que sendo dono do próprio negócio, você tem que ser o primeiro a chegar e o último a sair, é você quem pagará as contas, que na prática a tão sonhada “liberdade”, nem sempre virá tão cedo. Sendo assim, para empreender é preciso morrer muitas vezes para um feriadão prolongado, para o almoço de 1 hora/ 1 hora e meia e assim por diante.

Na prática isso: A vida exige esforço, determinação e morte para quem quer produzir frutos. Não me tenha como pessimista. Neste texto fui realista. Ah, o lado bom disso tudo? Ah, se você morrer, vai ver produzir muitos frutos, que alimentarão você e muita gente!

Edson Oliveira

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *