Caminhar com um fardo, torna a caminhada desgastante.

“Quando o Senhor reconduzia os cativos de Sião, estávamos como sonhando. Em nossa boca só havia expressões de alegria, e em nossos lábios canto de triunfo. Entre os pagãos se dizia: O Senhor fez por eles grandes coisas. Sim, o Senhor fez por nós grandes coisas”. Salmo 125

Este salmo, mostra o reconhecimento do povo de Deus, quando da sua libertação do cativeiro que viveram. Não há rancor pelos anos de cativeiro nesta oração, mas gratidão pela libertação. Por isso, mesmo ao olhar para trás, aquele sente alegria. O foco deles não é o tempo do sofrimento, mas a alegria em terem sido libertos e poderem recomeçar a vida.

Tristemente, há pessoas que não conseguem ultrapassar esta barreira e enxergar a vitória em meio aos fracassos e dores. Por isso, a vida se torna lamentação e frustração. É preciso contemplar a história, sempre com olhos fixos no que faz sentido. Se faz sentido algo bom, olhemos para isto. Se algo não faz sentido, se algo não foi bom ou não saiu a contento, não o carreguemos conosco, pois será um fardo, E caminhar com um fardo, torna a caminhada desgastante, desanimada, além do risco de não conseguir chegar ao final da caminhada, por ser vencido pelo peso.

Edson Oliveira

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *