As pessoas não passam em nossa vida por acaso.

“O tetrarca Herodes ouviu falar de tudo o que estava acontecendo, e ficou perplexo, porque alguns diziam que João Batista tinha ressuscitado dos mortos. Outros diziam que Elias tinha aparecido; outros ainda, que um dos antigos profetas tinha ressuscitado. Então Herodes disse: ‘Eu mandei degolar João. Quem é esse homem, sobre quem ouço falar essas coisas?’ E procurava ver Jesus“. Lucas 9, 7-9

Após a morte de João Batista, a mando de Herodes, este, ouvindo falar de Jesus (das curas, milagres e sinais que realizava), queria vê-Lo. Herodes, apesar de ter ordenado a morte de João, também o admirava; e, sabendo de Jesus, foi tomado de curiosidade.

A Bíblia diz que Herodes até ouvia João Batista e o admirava, mas só ficava nisto, pois não se permitia experimentar do que João falava. Era um homem curioso, dado às aparências. Gostava de estar perto de pessoas de nome, que estavam em “alta”. Por isso, era um homem vazio, sem princípios, sem amigos, incapaz de amar. Pelo menos duas vezes na vida, Herodes teve a oportunidade de mudar de vida: Com João Batista e com Jesus. Mas tristemente, só fazia questão de vê-los. Não estava aberto a ouví-los e deixar-se transformar pela mensagem que tinham.

As pessoas não passam em nossa vida por acaso. É preciso ter a coragem de não só ver as pessoas, mas permitir que a presença delas acrescente algo em nossas vidas. E se a presença delas não transmitir coisas boas, que aprendamos então a não ser como elas. De qualquer forma, guarde bem: As pessoas não podem passar em nossas vidas por acaso.

Edson Oliveira

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *