A Síndrome de Marta e Maria

“Naquele tempo, Jesus entrou num povoado, e certa mulher, de nome Marta, recebeu-o em sua casa. Sua irmã, chamada Maria, sentou-se aos pés do Senhor, e escutava a sua palavra. Marta, porém, estava ocupada com muitos afazeres. Ela aproximou-se e disse: ‘Senhor, não te importas que minha irmã me deixe sozinha, com todo o serviço? Manda que ela me venha ajudar!’ O Senhor, porém, lhe respondeu: ‘Marta, Marta! Tu te preocupas e andas agitada por muitas coisas. Porém, uma só coisa é necessária. Maria escolheu a melhor parte e esta não lhe será tirada’”. Lucas 10, 38-42

Estes versículos bíblicos são desconcertantes. Ao ser lido, nos questionamos sobre se temos sido Marta ou Maria. Também nos fazem questionar sobre pessoas do nosso convívio. E há uma grande tentação em querer apontar quem estava certa e quem estava errada: Marta pelo cuidado com o material, com o exterior ou Maria por ocupar-se em estar com Jesus.

Certamente, será sábio para quem ler tais versículos, debruçar-se sobre os benefícios das atitudes de cada uma das irmãs, ou seja, partir do positivo, das qualidades de cada uma. Se assim fizermos, haverá uma purificação em nossos sentimentos, e sem paixões, teremos um discernimento adequado.

O caso Marta e Maria, não é diferente do que acontece hoje: Há pessoas que não têm o equilíbrio suficiente para lhe dar com quem pensa diferente. Vivemos em meio a uma verdadeira Síndrome ( Síndrome – do grego “syndromé”, cujo significado é “reunião”; é um termo bastante utilizado em medicina e psicologia para caracterizar o conjunto de sinais e sintomas que definem uma determinada patologia ou condição) de Marta e Maria. Basta ver na política, que mesmo após as eleições, existem pessoas incapazes de dialogar, de ao menos ouvir o lado oposto. Isso vale para o futebol, música, até mesmo o canal de tv que o outro assiste. E sem falar naqueles que, se dão ao direito de entrar na rede social do outro e falarem horrores diante de uma postagem, simplesmente por não concordarem, por pensarem diferente.

Se você está com a síndrome de Marta e Maria, aconselho você a purificar os sentimentos. Olhe para alguém ou algo que não concorda e ao menos tente colher algo bom. Isso deve ser feito sem paixão, faça-o friamente. Se não conseguir ver nada de bom, exercite o silêncio. Pois cada um tem a sua liberdade que precisa ser respeitada.

Edson Oliveira

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *