Quando estamos em Deus e com Deus, inimigo algum nos torna cativos.

“Ó Judá, a ti te louvarão teus irmãos; tua mão estará sobre a nuca de teus inimigos, e os filhos de teu pai se prostrarão ante ti”. Gênesis 49, 8 – Bíblia Hebraica.

O pescoço, é a parte de um humano ou de um animal que conecta a cabeça com o resto do corpo. O termo hebraico para pescoço (nuca) evidencia a estrutura do esqueleto, que pode ser quebrada. Em hebraico, dizia-se que quem fugisse derrotado literalmente virava sua “nuca” para o inimigo, isto é, as costas do pescoço. Por tanto, “pôr a mão na nuca” dos inimigos significava conquistá-los ou subjugá-los. Com significado similar, em monumentos do Egito e da Assíria, há figuras de monarcas em cenas de batalha pisando nos pescoços de seus inimigos. No capítulo 10, versículo 24 do livro de Josué, ele ordenou aos comandantes de seu exército: “Vinde para a frente. Ponde os vossos pés sobre a nuca destes reis”. Um jugo sobre o pescoço indicava servidão, submissão, ou escravidão.

Quando estamos em Deus e com Deus, inimigo algum nos torna cativos; ao contrário, nos é dada a força necessária para a nada e a ninguém nos submetermos.

Edson Oliveira

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *