Deus habita em nós, como num templo.

“Vê, a noite cobre a terra e a escuridão, os povos, mas sobre ti levanta-se o Senhor, e sua glória te ilumina”. Isaías 60, 2

Isaías profetiza sobre Jerusalém, afirmando que a luz de Deus está sobre ela. De fato, é em Jerusalém que estava o templo onde habitava Deus. “Jerusalém é um antiquíssimo centro urbano, repleto de história e tradição religiosa. Representa um lugar sagrado para judeus, cristãos e muçulmanos. Ao longo dos séculos, pertenceu a babilônios, persas, gregos e romanos. Esteve durante séculos em poder dos muçulmanos. Muitas vezes ela foi conquistada, destruída e de novo reconstruída. Jerusalém, em hebraico Yerushaláyim, é derivada da palavra Yir’a, que significa temor a Deus, mais a palavra Shalem, que significa perfeição. Jerusalém é sagrada para os judeus desde que o rei Davi resolveu conquistar a Fortaleza de Jerusalém, situada na montanha central da Palestina, que há séculos estava em poder da tribo Cananeia, dos jebuseus. Em 1 000 a.C., apossou-se dela e a transformou na capital do Reino de Judá. Para os cristãos, Jerusalém é sagrada pela passagem de Jesus, conforme relato dos Evangelhos Canônicos do Novo Testamento, escritos pelos discípulos João, Lucas, Marcos e Mateus. Durante séculos, Jerusalém ficou em poder dos muçulmanos, que proibiram as peregrinações religiosas. Em 638 Jerusalém foi declarada a terceira cidade mais sagrada do Islã, depois de Meca e Medina. Em 1517, Jerusalém caiu sob o domínio Turco Otomano, que permaneceu no controle até 1917. Em Jerusalém estão importantes pontos religiosos, entre eles, A Esplanada das Mesquitas, conhecida pelos judeus e cristãos como o Monte do Templo, em alusão ao antigo templo, e chamado de Nobre Santuário pelos muçulmanos. O Muro das Lamentações é um lugar sagrado de Jerusalém, visitado por peregrinos do mundo todo. É tudo que restou do Templo de Salomão, centro de culto religioso e vida espiritual de Jerusalém. O Santo Sepulcro é o local onde está edificada a Basílica do Santo Sepulcro e no seu interior, segundo a tradição cristã, está o local onde Jesus foi crucificado e o local onde foi sepultado e ressuscitou.” https://www.significados.com.br/jerusalem/

A profecia de Isaías, cabe perfeitamente a nós. Sim, pois somos templos vivos de Deus. Tal designação nos veio ao nos criar à Sua imagem e semelhança. Quis Deus assim, habitar em nós, como no templo de Jerusalém. Quem se apossa desta honraria – de ser Templo de Deus, não vive na escuridão. Será sempre iluminado e guiado pela Luz que é o próprio Deus, ainda que a escuridão da vida paire à sua volta, em forma de tribulações, sofrimentos pessoais, familiares, financeiros, enfermidades… Não sei se você já fez a experiência de entrar numa Igreja no meio de um dia agitado, barulho de carro na rua, conversas, pessoas indo e vindo. É incrível, mas parece que o mundo para. A presença de Deus torna tudo sereno, mesmo em meio a agitação. Precisamos ser templos assim, para que, quando pessoas tomadas pela escuridão e agitação da vida de nós se aproximarem, experimentem paz e obtenham respostas.

Edson Oliveira

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *