O problema do dinheiro é quando ele deixa de nos servir e passa a nos governar.

“Naqueles dias, Estêvão, cheio de graça e poder, fazia prodígios e grandes sinais entre o povo. Mas alguns membros da chamada Sinagoga de Libertos, junto com cirenenses e alexandrinos, e alguns da Cilícia e da Ásia, começaram a discutir com Estêvão. Porém, não conseguiam resistir à sabedoria e ao Espírito com que ele falava. Então subornaram alguns indivíduos, que disseram: ‘Ouvimos este homem dizendo blasfêmias contra Moisés e contra Deus’. Desse modo, incitaram o povo, os anciãos e os doutores da Lei, que prenderam Estêvão e o conduziram ao Sinédrio”. Atos 6, 8-12

Desde tempos antigos, há pessoas que se vendem, traem e até matam por dinheiro. Foi assim com Judas que vendeu Jesus por 30 moedas de prata e neste episódio sobre Estevão: alguns indivíduos aceitaram, por dinheiro, inventar uma mentira sobre Estevão e assim, injustamente foi julgado, apedrejado e morto.

O Papa Francisco, dia 17/11/2016, falando a cerca de 500 participantes da Conferência Internacional das Associações de Empresários Católicos (UNIAPAC), se referiu ao dinheiro, dizendo que o mesmo “existe para servir, não para governar”. O dinheiro não é um problema. O problema é quando ele deixa de nos servir e passa a nos governar – Neste momento, ele passa a ditar as regras e conduzir as atitudes, levando a pessoa, pelo desejo de conseguí-lo, se submeter e fazer qualquer coisa. Diante desse contexto, é preciso ter sabedoria para lidar com o dinheiro, sendo pouco ou muito.

Edson Oliveira

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *