Nossa espiritualidade tem nos transformado?

O profeta Amós, trás da parte de Deus, uma crítica severa àqueles que cuidavam da vida religiosa, ao dizer: “Aborreço, rejeito vossas festas, diz o Senhor, não me agradam vossas assembleias de culto. Se me oferecerdes holocaustos, não aceitarei vossas oblações e não farei caso de vossos gordos animais de sacrifício. Livra-me da balbúrdia dos teus cantos, não quero ouvir a toada de tuas liras. Que a justiça seja abundante como água e a vida honesta, como torrente perene”. Amós 5, 21-24

A crítica não é feita pelo culto prestado, nem aos rituais por estes exigidos e sim, à falta de coerência destes rituais com a vida que levavam, pois cultuavam a Deus que é justo, mas não praticavam a justiça, sendo desonestos em suas relações de trabalho e sociais.

O livro do profeta Amós como um todo, trata de uma deterioração ética e moral, apesar desta deterioração partir justamente daqueles que prestavam culto a Deus, o que tornava aquela sociedade vazia apesar da aparência de que se preenchiam. Em nosso tempo corremos esse risco também: vivemos em um mundo que se fala tanto de espiritualizar-se e ao mesmo tempo, vemos pessoas que não perdem uma oportunidade de levar vantagem, sem se preocupar com as consequências disso na vida de outros.

Edson Oliveira

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *