O perigo de uma confiança cega.

Aqui, um conselho direto dado por São Paulo: “Portanto, ninguém ponha a sua glória em ser humano algum”. 1 Coríntios 3, 21a

Tal conselho se seguido, nos liberta de paixões, de partidos, da famosa polarização e sobretudo da decepção, uma vez que, as pessoas são passíveis de erros e certamente, em algum momento irá de alguma forma, nos ferir.

Se relacionar, viver bem, respeitar… tudo isso é parte da vida e constitui as relações humanas. Mas quando pomos em alguém ou numa instituição uma confiança cega, justamente por ser cega, nos impede de ver fragilidades. Mas quando a confiança é equilibrada, sem cegueira, sem paixões, quando nos deparamos com uma fragilidade, sabemos reagir de forma sábia, separando “o joio do trigo”.

Edson Oliveira

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *