Quando não acreditamos em algo impossível, é porque estamos distantes de Deus.

Abraão foi considerado por Deus, Seu amigo. Isso fica claro, ao lermos o versículo 17, do capítulo 18 do livro do Gênesis: “Acaso poderei ocultar de Abraão o que vou fazer?” Quando se tem um amigo, deste nada se oculta. Amigo é alguém com quem se mantém um relacionamento de afetivo, consideração e respeito. Amizade é lealdade, proteção, é fazer o possível para ajudar sempre – e acima de tudo, uma relação de extrema confiança. E Abraão assim foi com Deus. Sua amizade começa, quando aos 75 anos de idade, Deus lhe pede que deixe tudo e vá para um lugar; lugar este, que só após sair de onde viveu toda uma vida, lhe seria mostrado.

Por este relação de amizade com Deus, Abraão se atreve a interceder por Sodoma e Gomorra, cidades corroídas pelo pecado, onde os homens perderam totalmente o sentido da pureza, do respeito e do amor, como no episódio em que tentam invadir a casa de Ló e pedir para que os homens que foram acolhidos por ele, saiam para ter relações sexuais com eles – “E chamaram Ló: ‘onde estão – disseram-lhe – os homens que entraram esta noite em tua casa? Conduze-os a nós, para que os conheçamos'”. Gênesis 19,5. Por sua relação de amizade com Deus, Abraão acredita – por conhecer e confiar em seu amigo – que até mesmo o povo daquelas cidades, poderiam ser salvos. E assim, fala com Deus como alguém que fala com um amigo, questionando-Lhe: “fareis o justo perecer com o ímpio?” – Gênesis 18, 23. E até o versículo 32, Abraão trava uma verdadeira batalha de insistência, que beira a inconveniência; mas que na verdade é liberdade que só se conquista quando se tem amizade.

As conquistas de Abraão e as bênçãos que conquistou, vieram desta relação de amizade com Deus. Deus não era para ele um chefe, patrão ou alguém poderoso e inacessível, mas um amigo, diante do qual ele poderia ser ele. Só desfrutaremos de uma verdadeira amizade com Deus, quando diante d’Ele nos colocarmos como somos, sem medo, culpa ou interesse. Como um amigo que acredita sempre, espera sempre, confia sempre.

Quando não acreditamos em milagres, em algo impossível, é porque estamos distantes de Deus. Abraão era tão próximo de Deus, que rezou por uma cidade inteira (Sodoma) de pessoas “perdidas”, acreditando assim, que Deus, por ser seu amigo, era capaz de lhe atender.

Edson Oliveira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *