A sabedoria de possuir sem ser possuído.

Na época em que Jesus começou seu ministério, havia um homem chamado Zebedeu, que era um próspero empresário. Dono de uma companhia de pesca, tinha barcos, funcionários e gozava de prestígio na sociedade local. Era pai de Tiago e João, herdeiros e administradores naturais dos negócios da família, que ao encontrarem-se com Jesus decidem seguí-Lo e abandonar assim o sonho do pai, de tocarem os negócios e serem a seu exemplo, homens de prestígio na sociedade e bem sucedidos materialmente.
Sendo assim, a esposa de Zebedeu decide ir até Jesus para garantir “um futuro” para seus filhos: “Ordena que estes meus dois filhos se sentem no teu Reino, um à tua direita e outro à tua esquerda”. Mateus 20, 20-21.
Para Zebedeu e sua esposa, não diferente de muitos de nós, o mais importante era a vida terrena: status social, garantias materiais… não que seja errado estudar, empreender, possuir bens, prosperar. Tudo isso faz parte da vida, mas não pode ser o sentido da vida.
A vida de Tiago e João nos mostra que eles não foram possuídos por aquilo que possuíam. Deixaram tudo, para possuir Aquele que era O tudo!

Edson Oliveira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *