Ao fazer um bem, não espere nada…

Fazer o bem, o que é correto fazer, desperta emoções e reações, como no caso descrito pelo evangelista São Lucas, ao contar que certa vez, “Jesus expelia um demônio que era mudo. Tendo o demônio saído, o mudo pôs-se a falar e a multidão ficou admirada. Mas alguns deles disseram: Ele expele os demônios por Beelzebul, príncipe dos demônios“. Lucas 11, 14-15.

As emoções despertadas pelo feito de Jesus – curar um mudo, foram admiração e inveja. Enquanto uma multidão se admira ao ver o mudo falar, alguns que ali estavam, tomados por inveja, “disseram: Ele expele os demônios por Beelzebul, príncipe dos demônios“. Era simplesmente uma tentativa de desqualificar Jesus pelo bem feito.

Da mesma forma, o que fazemos despertará emoções nas pessoas. E não nos enganemos: fatalmente, algo bom que fizermos pode não ser compreendido ou ainda que seja, pode ao invés de despertar uma louvação, despertar ciúme, inveja e até mesmo o desejo de desqualificar-nos. Por isso, ao fazer um bem, não espere nada; desta forma, você não se acostumará com os elogios e não se incomodará com as críticas.

Edson Oliveira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *