A diferença entre remorso e arrependimento

“Um dos doze discípulos, chamado Judas Iscariotes, foi ter com os sumos sacerdotes e disse: ‘Que me dareis se vos entregar Jesus?’ Combinaram, então, trinta moedas de prata. E daí em diante, Judas procurava uma oportunidade para entregar Jesus”. (Mateus 26, 14-16).

É difícil entender a traição de Judas, sobretudo pelo preço que ele combinou, com os sacerdotes, para lhes entregar Jesus: Trinta moedas de prata; que segundo o livro do Êxodo, era o que se pagava por um escravo – “Mas, se (um boi) ferir um escravo ou uma escrava, pagar-se-á ao seu senhor trinta siclos de prata, e o boi será apedrejado”. (Êxodo 21, 32). De acordo com o Freedom Project da CNN, site dedicado ao fim da escravidão moderna, o preço médio de um escravo seria hoje, o equivalente a 90 dólares, ou seja: R$ 518,26.

“Judas, o traidor, vendo-o então condenado, tomado de remorsos, foi devolver aos príncipes dos sacerdotes e aos anciãos as trinta moedas de prata, dizendo-lhes: Pequei, entregando o sangue de um justo. Responderam-lhe: Que nos importa? Isto é lá contigo!” Mateus 27, 3-5.

Remorso, diferente de arrependimento é um sentimento sobre os acontecimentos e atitudes do passado. É uma sensação do que não era para ser dito ou feito. Ocasiona doenças, como dores de cabeça, problemas intestinais, oscilação da pressão sanguínea e problemas cardíacos e grandes desgastes ao corpo e à mente. No caso de Judas por exemplo, “Ele jogou então no templo as moedas de prata, saiu e foi enforcar-se”. Mateus 27, 5. Se Judas tivesse tido arrependimento, ele não teria se enforcado, pois arrependimento significa conversão, tanto espiritual, bem como intelectual. É uma mudança de direção e de mente; de atitudes, temperamentos, caráter, geralmente conotando uma evolução. Arrependimento é de origem grega (μετάνοια, metanoia).

Quem sente arrependimento evolui, cresce. Quem sente remorso regride, se condena a si próprio. Judas, a exemplo dos outros discípulos de Jesus, tinha seus erros e acertos, mesmo assim se tornou apóstolo, representante de Jesus; porém, não viveu a metanóia, a conversão diária, o arrependimento diário. “Era ladrão e, tendo a bolsa, furtava o que nela lançavam”. João 12, 6. Não se arrependia do pouco que a cada dia roubava. Ao ver a possibilidade de ter ter 30 moedas só suas, foi seduzido. Se não nos arrependermos dos pequenos males que praticamos, um dia cairemos no remorso e a exemplo de Judas, poderá ser tarde demais para um arrependimento.

Edson Oliveira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *