João Batista: O poder de um homem com autoconhecimento

“Disseram- lhe, então: `Quem és, para darmos uma resposta aos que nos enviaram? Que dizes de ti mesmo?` Disse ele: `Eu sou uma voz que clama no deserto: Endireitai o caminho do Senhor, como disse o profeta Isaías`”. João 1, 22-23

A João Batista foram feitas as duas perguntas mais difíceis dos evangelhos: “Quem és?” “Que dizes de ti mesmo?” E sem vacilar ele responde: “Eu sou uma voz que clama no deserto: Endireitai o caminho do Senhor…”

João, por seu estilo de vida, foi chamado de endemoniado (Lc 7, 33); foi perseguido, ameaçado, preso… mas nada disso o fez desistir de sua missão, a ponto de dar a vida por ela. E isso se deu porque João tinha clareza de quem era e do que tinha que fazer. Isso se chama autoconhecimento, ou seja: O conhecimento que uma pessoa tem sobre si mesma. Uma investigação pessoal que identifica as características mais fortes, gostos, inclinações, padrões de comportamento e os sentimentos vivenciados por ela. Isso ajuda no desenvolvimento da autoconfiança necessária para tomar decisões, planejar o futuro, bem como definir objetivos e metas de forma eficiente e eficaz. Estudando um pouco a vida de João Batista, é nítido o seu autoconhecimento.

A pessoa que conhece a si próprio, que busca autoconhecimento, sabe qual marca quer deixar no mundo. Mas como ter autoconhecimento? Aqui, deixo 3 tarefas. Cumprí-las, com certeza é garantia de crescimento e desenvolvimento espiritual, humano e profissional:

1ª- Questione-se! João fez isso. Em determinado momento, mandou alguns dos seus discípulos perguntarem a Jesus: “És tu aquele que há de vir ou devemos esperar um outro?” (Lc 7, 19). Jesus estava em plena vida pública, acabara de ressuscitar o filho de uma viúva na cidade de Naim (Lc 7, 11-17). Sua fama se espalhara e João certamente queria ter certeza de que tudo que viveu e pregou não foi em vão. Questionar-se é saudável, é próprio de quem está aberto a se necessário for, recomeçar, não importando o ponto onde chegou.

2ª- Não tenha medo de mudar de opinião! João estava disposto, se fosse o caso de Jesus não ser o Messias, de mudar de opinião, mudar o rumo da sua pregação. Mudar de opinião não é sinal de fraqueza e sim, de maturidade, humildade e de reconhecimento de que se é humano e sendo humano pode errar.

3ª- Aprenda a dizer não! Dizer não, não é fácil. Requer coragem e disposição para contrariar aqueles que de forma equivocada aguardam sempre um sim. João disse não a uma vida comum, optou por uma vida austera, privado de um “padrão” de vida. João tinha seu foco: “ser uma voz que clama no deserto”. E foco, como ensinado por Steve Jobs fundador da apple em 1997, quando viu sua empresa totalmente sem foco, perdida e à beira da falência, é: “DIZER NÃO ÀS CENTENAS DE OUTRAS BOAS IDEIAS”.

Edson Oliveira

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.