O que fazer quando um mal nos atinge?

O evangelista Marcos conta que “a sogra de Simão (Pedro) estava de cama com febre, e eles (os apóstolos) imediatamente o mencionaram a Jesus”. Mc 1, 30.

Diante da manifestação de um mal, seja físico, emocional ou espiritual, é preciso imediatamente, falar deste a Jesus, como o fizeram os apóstolos ao verem a situação em que se encontrava a sogra de Pedro. Tal atitude já tem sua eficácia comprovada cientificamente. Recentemente, o jornal “correio brasiliense” publicou uma matéria assinada pelo Dr Ricardo Teixeira – neurologista e diretor clínico do Instituto do Cérebro de Brasília, onde este explica que “algumas doenças podem ter um efeito devastador na vida de um paciente e suas famílias, especialmente no caso do câncer e de patologias degenerativas e progressivas como a doença de Alzheimer. Perguntas comuns nessas situações, como por que comigo?, por que logo com meu filho?, por que isso tudo?, nos dão uma pista de que, além dos cuidados físicos e emocionais, uma janela preciosa na relação entre a equipe de saúde e o paciente e seus familiares pode estar se abrindo: a dimensão espiritual. De acordo com a Conferência de Consenso Internacional em Espiritualidade na Assistência Médica, espiritualidade é a maneira com que as pessoas buscam significado, propósito, conexão, valor ou transcendência. Isso pode incluir religiões, mas também outras formas de busca de sentido por meio de conexão, por exemplo, com a família, a comunidade ou a natureza. O respeitadíssimo periódico da Associação Médica Americana (JAMA) publicou, bem recentemente, a mais rigorosa análise desse binômio espiritualidade e saúde. O estudo foi conduzido pela Universidade Harvard. Estudos revelam que mais de 90% dos médicos acreditam que as crenças espirituais dos pacientes devem ser consideradas”. https://www.correiobraziliense.com.br/revista-do-correio/2022/08/5030054-a-espiritualidade-do-doente-deve-ser-levada-em-consideracao-no-tratamento.html.

O texto do Dr Ricardo Teixeira citado acima, coaduna com o que diz o livro bíblico do Eclesiástico / Sirácida. Em forma de conselho, escrito entre 190 e 124 aC, ele diz: “Filho, não te revoltes na tua doença, mas reza ao Senhor e ele te curará”. Eclo 38, 9. A espiritualidade tem o poder de curar um mal, trazer resiliência a pessoa afetada, bem como à sua família durante o período de convivência com a enfermidade e ainda conforto e paz no caso em que a pessoa venha a falecer, promovendo união, reconciliação, amor e acima de tudo esperança na vida eterna, desapegando-nos daquilo que é transitório, passageiro.

Edson Oliveira

DEIXE SEU COMENTÁRIO!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.